sexta-feira, 18 de março de 2011

The Strokes - Angles

   Anunciado para o fim de março, Angles o novo albúm do Strokes, vazou antes da hora como todos os outros discos de todas as grandes bandas.
   Foram cinco longos anos sem nenhuma novidade e desde 2009 as espectativas para o novo lançamento só aumentaram, com periodicas noticias que davam conta de que o processo de composição estava em andamento. Durante este tempo todos os membros da banda tiveram seus projetos paralelos, Nicolai Fraiture, Nick Valensi e Albert Hammond Jr. ajudaram outras bandas e cuidaram de seus projetos solos, Fabrizio Moretti montou o ótimo Little Joy com Rodrigo Amarante e Binki Shapiro sua namorada, mas o grande trabalho foi o Phrazes for the Young do Julian Casablanca lançado no fim de 2009, começo de 2010 e para mim é um dos grandes albúns dos últimos anos.
   Angles é uma mistura de todas essas experiências, em alguns momentos chega até a ser confuso, mas ao final da primeira audição fica a certeza de um bom disco. Assim como no solo de Julian há muitos referencias oitentistas vide as canções Machu Picchu, Two Kinds of Happiness e Games, outras com pegada mais clássica como Gratisfaction, Call me Back já traz a mente o trabalho de Moretti, minha preferida é Under Cover of Darkness que é extremamente Strokes.
  O quarto trabalho dos Strokes é plural, repleto de referências, é bom, só não é o melhor.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Belas Artes

   Agora parece certo, apesar de várias tentativas de entendimento e novas datas para entrega do prédio, André Sturm, diretor da Pandora Filmes e um dos sócios do Belas Artes, não conseguiu negociar um novo contrato com o proprietário do edifício Flavio Maluf .
  É muito difícil falar sobre algo que toca muito mais a emoção do que a razão, é claro que um prédio na esquina da Consolação com a Paulista é alvo de inumeras empresas, de porte colossal, com rios de dinheiro e possibilidades de lucro futuro absurdas. Tudo isso é verdade, mas dane-se, um dos grandes expoentes da cultura paulista não existirá mais, o melhor lugar para se ver cinema em SP também tem a melhor localização, um número grande de salas e a filosofia de trazer a tela grande, tudo que o cinema mundial oferece, sem privilegiar os "blockbusters", comtemplando um público que busca a arte e a informação, junto com o entretenimento.
   O Belas Artes é minha primeira referência quando penso em cinema, e se lá não tivesse assistido a Segunda Feira ao Sol, Elza e Fred, A Vida dos Outros, Brown Bunny...teria que lotéricamente esperar que eles surgissem na minha frente em dvd e portanto provavelmente não teria pegado gosto por cinema, não passaria madrugadas inteiras no Noitão, não passaria tardes inteiras acompanhando a mostras de cinema, não seria um chato em odiar cinemas de Shopping, meu pai não estaria louco da vida por eu ter estudado Produção Áudio Visual, teria outro ponto de encontro preferido com meus grandes amigos Vini, Vivi, Gabi, Ana e teria economizado muita grana.
   Nos últimos dias, já imaginando que seriam os últimos, fui alucinadamente a todas as sessões que o tempo e o dinheiro me possibilitaram, assisti a praticamente todos os filmes do oscar que haviam estreado, Inverno da Alma, Lixo Extraordinário, Biutiful, Discurso do rei, também vi outros menos premiados mas muito legais como, A Arvore, José e Pilar, finalmente assisti ao eternamente em cartaz Medos Privados em Lugares Públicos.
   Ainda vou tentar ver mais algum filme antes de fechar, agora é torcer para alguma mudança de última hora ou que pelo menos um novo lugar com as mesmas caracteristicas e boa localização seja encontrado.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Melhores filmes da década de 2000

Adeus, Lenin
A transição das Alemanhas para uma única nação e as profundas mudanças pela qual o lado Oriental foi submetido, uma ativista que passou por todas essas mudanças em coma e sua familia que tenta manter o mundo de sua mãe intacto.

Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças
Grande filme de Michel Gondry, quando Clementine resolve por meio de uma nova tecnica, apagar Joel de sua memória, ele decide fazer o mesmo com ela,durante o processo Joel se dá conta de tudo que ela representava em sua vida e dos momentos incriveis que tiveram.

Bastardos e Inglórios
Talvez o filme de Tarantino que mais tenha chegado perto de um oscar, apesar de ter levado o prêmio de ator coadjuvante, o filme sobre um grupo de americanos judeus matadores de nazistas e uma sobrevivente francesa a fim de vingança merecia muito mais.

Brown Bunny
Filme quase exclusiva de Vincent Gallo, roteiro, fotográfia, direção...Gallo também é o personagem central, piloto de corrida em uma viagem através de suas angústias que só podem ser entendidas ao fim da jornada.


Cidade de Deus
O melhor do cinema brasileiro, Fernando Meirelles mostra do que somos capazes, talvez isso tenha causado certos vicios nas posteriores produções nacionais, mas isso não é problema de Meirelles.


Dogville
                                                       O filme que resume um pouco do que é o cinema de Lars Von Trier, uma história contundente sobre a natureza cruel do ser humano, o falta de cenário , as marcações no chão, uma originalidade e transgressão poucas vezes vistas,um filme para ser cultuado ou odiado.
                                                       

                                                       Entre os Muros da Escola
Conta o ano letivo de um professor em uma sala cheia de alunos com experiências e culturas diferentes, o pouco interesse e a personalidade de cada um tornam as coisas cada vez mais dificeis para o professor, uma realidade pouco conhecida por nós quando pensamos em um país europeu.


Elefante
Gus Van Sant mostra através de planos sequência e vários pontos de vista, uma manhã de um colégio americano que precede um massacre cometido por 2 alunos. Inspirado nos fatos acontecidos em 1999 na Columbine High School quando 1 professor e 14 alunos foram mortos.

O Equilibrista
Philippe Petit é uma figura especial, com dons especiais, neste documentário o equilibrista narra seus grandes feitos e principalmente relembra em detalhes a sua inacreditável travessia feita entre as Torres Gêmeas ainda na época sua inauguração.

Fale com Ela
As mulheres continuem sendo foco nos filmes de Almodovar, desta vez não com personagens malucos, divertidos, mães de familia, prostitutas, Alicia e Lydia estão em coma e a relação entre o enfermeiro  Benigno, apaixonado por Alicia e Marco que parece perdido com a situação de sua namorada Lydia, acaba se tornando determinante para o destino daquelas mulheres.

O Filho da Noiva
Um roteiro incrivel como só o cinema argentino consegue desenvolver em nosso continente, o ótimo Ricardo Darin é Rafael um homem recém separado, com uma filha e seus negócios para cuidar, em paralelo a isso seu Pai deseja realizar um antigo desejo de sua esposa que era casar-se na igreja. Depois de um problema cardiaco Rafael resolve reconstruir seu passado, ajudando inclusive a realizar o sonho dos pais mesmo sabendo que sua mãe está perdendo gradativamente a memória.
                                                       O Homem Urso
                                                       A intrigante jornada do ecologista Timothy Treadwell, um apaixonado pela natureza que parecia ter mais medo dos seres humanos do que de qualquer outro animal selvagem, Timothy passava os verões analisando a vida de ursos pardos, um dos mais perigosos animais do mundo, talvez por ter perdido o temor pelos animais ou por insensatez, o ecologista decide não voltar para casa na data combinada. Werner Herzog monta a partir das gravações encontradas um mapa da personalidade peculiar de Timothy e nos  mostra mais de perto os futuros assassinos daquele homem.
Os Infiltrados       
Martin Scorsese finalmente foi reconhecido pela acadêmia com um filme policial perfeito, traição, assassinato, gangsters, o queridinho de Scorsese Leonardo DiCaprio está mais uma vez ótimo junto dos fantásticos Jack Nicholson, Martin Sheen e Matt Damon  e Mark Wahlberg .

Juno
Um dos grandes filmes independentes da década, um roteiro incrível de Diablo Cody, dialogos inteligentes, super inspirados e as muitas referências indies, um filme despretencioso e cativante, Ellen Page da vida a adolescente grávida mais legal de todas.
Onde os fracos não tem vez
Para mim o grande filme dos irmãos Coen, Anton Chigurh interpretado por Javier Bardem é o mais frio e brega matador de faroeste que se tem noticia, a construção de cada personagem é incrivel, a direção e roteiro tem o DNA dos irmãos Coen, o final não feliz e o laconismo de quase todo filme confirmam a singularidade desta obra clássica.

                                                       Pequena Miss Sunshine
Outro grande filme independente, mais um roteiro cativante e esperto, a viagem da familia Hoover com uma Kombi amarela até o concurso para pequenas misses mirins, Alan Arkin recebeu o oscar de ator coadjuvante além do oscar de roteiro original prêmio quase obrigatório para um grande independente.

Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei
Terceira parte da trilogia mais legal da história do cinema, o padrão de excelência foi mantido em toda a saga, os mais aficcionados como eu sentiram falta de uma coisa ou outra presentes nos livros, nada que prejudicasse o resultado final da saga.


O Segredo dos seus olhos
Vencedor do oscar de melhor filme estrangeiro de 2010 derrubando o favoritissimo e também muito bom "A Fita Branca", mais uma parceria de Juan José Campanella e Ricardo Darin, o filme é um resumo de todo talento e originalidade dos diretores, produtores e atores argentinos. Um filme com drama, suspense policial e atuações impecáveis.


Sideways - Entre umas e outras
Uma comédia sem piadas infantis ou de riso fácil, um filme para ser apreciado, Paul Giamatti e Thomas Haden Church são homens de meia idade, com personalidades diferentes e a primeira vista totalmente incompátiveis, unidos pelo vinho e pela procura de uma vida mais agradável de ser vivida.

Valentin
                                                       O terceiro filme argentino dos meus favoritos, sim, eu adoro o cinema argentino. Este filme é ambientado na Buenos Aires da década de 60, Valentin é um garoto de 9 anos que vive com a Avó, foi abandonado pela mãe e despresado por seu pai, sua avó interpretada por Carla Maura é a única pessoa que ele tem no mundo e está muito doente. Valentin cuida da avó , tenta de encontrar uma esposa para seu pai e fica a espera de sua mãe que ele tem certeza que um dia virá busca-lo. Um belo filme realizado por Alejandro Agresti.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

10 discos mais legais de 2010

 
1-Kings of Leon - Come Around Sundown
   A banda já era bem pop e cada vez vai ficando mais, o que não é necessariamente um problema, as canções são boas.

2-Surfer blood - Astro coast
  Primeiro trabalho da banda que lançou seu primeiro single "Swin" ainda no fim de 2009, o disco é ótimo do começo ao fim, "Floating Vibes" é uma das músicas mais legais do ano.

3-MGMT - Congratulations
  Não acho tão bom quanto dizem, mas é bom, Congratulations mostra autenticidade e a competência de uma das bandas indies mais representativas de hoje.

4-LCD Soundsystem - This is happening
  Rock e música eletrônica com qualidade, só não é melhor por ser posterior a Sound of Silver.

5-Arcade Fire - The Suburbs
   Muito, muito bom, a banda não se perdeu em nenhum momento desde que lançou seu primeiro single, criatividade infindável.
6-Charlotte Gainsbourg - IRM
   Poucas pessoas são boas em tudo que fazem, Charlotte sem dúvida é, toda excentricidade e singularidade de seus trabalhos no cinema estão presentes também na música.
7-Sufjan Stevens - The age of adz 
   Serena, assim pode se resumir a música de Sufjan Stevens 

8-Brandon Flowers - Flamingo
   Parece Killers, parece muito com Killers e por isso é ótimo.

9-She & Him - Volume 2
   Zooey Deschanel é mais uma cantriz, ela é linda e suas músicas agradáveis, Volume 1 foi bem legal ,Volume 2 é ótimo.
 
10-Apanhador só - Apanhador só
   Não é igual a Los Hermanos, só parecido e muito legal "Nescafe é um máximo de música".
                          

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

SWU

No dia 9,10 e 11 de outubro aconteceu na fazenda Maeda em Itu o festival SWU, que tinha como frente o conceito de sustentabilidade.
Nos palcos espalhados pela fazenda aconteceram palestras, esposições e shows é claro. Estive lá no 1° dia com mais três amigos, eles estavam malucos para assistir Rage Against the Machine, eu também estava ,mas queria muito ver Mutantes, Los Hermanos e Mars Volta.
Fui de carona com o gente fina taxista Jorge, amigo de uma das meninas, nos levou até o começo da estrada de terra que levava para fazenda, depois dai era impossivel a locomoção que não fosse com os próprios pés. Andamos loucamente por uns 50 minutos e por isso infelizmente perdi a metade do show dos Mutantes, mas o pouco que vi foi muito bom. Ao fim deste show, fui público a dentro tentar ficar o mais próximo possivel do palco a minha direita ,onde aconteceria os shows dos Hermanos e do Rage.
Muito melhor posicionado acompanhei emocionado o lindo show feito por Camelo,Amarante,Barba e Medina ( o Indio, o Pimenta , o Bubu que estava parecendo Jesus Cristo), todos pareciam muito felizes, simpaticos e incrivelmente entrosados depois de tanto tempo sem tocarem juntos, é claro que ouveram alguns percalços, como uma letra esquecida ou uma nota errada, nada que as vozes de boa parte daquela gente não concertasse, eu fã inveterado da banda  cantei todas as músicas como se fosse a ultima vez a que as ouvisse ao vivo, como provavelmente foram, realmente inesquecivel. Marcelo Camelo tranparece boemia desde da face até a voz bem mais sofrida que a de outros tempos, Amarante é a simpatia, Medina e Barba são o equilibrio, dessa que é para mim a  banda brasileira  mais completa da última década.
Pós Hermanos me posicionei entre os dois palcos, porque não queria perder o show do Mars Volta. Meio de lado para o palco, vi muito mais o show pelo telão e que puta show ,ao contrário da maioria da galera que estava obcecada esperando pelo Rage, me permiti acompanhar com afinco o show dos caras. Foi sensacional , Cedric Bixler-Zavala cantava fino, dançava, usava uma bota prateada, era puro estilo, Omar Rodrigues-Lopes toca muita guitarra, é um absurdo, a banda inteira é absurda , foi uma legitima ópera-rock cheia de psicodelia, com músicas de 10,15,20 minutos para muitos foi chatisse, para mim foi demais.
O grande momento não demorou a chegar, mas enquanto não chegava logo vi que estava em uma bomba relógio, todos espremidos e com a adrenalina a mil. Logo vieram as sirenes e pensei "Porra Testify!!!",quando Tom Morello deu a primeira nota a bomba explodiu. Foram momentos surreais , talvez tenha ficado alguns segundos sem tocar o pé no chão, uma das minhas amigas perdeu os dois tênis, depois da terceira canção tentei me posicionar em um local mais tranquilo, só que este lugar não existia, portanto desencanei e sofri com algumas dolorosas consequências, o que não chega perto do sentimento de ver e ouvir ao vivo Guerrilla Radio, Bombtrack, Testify, Bulls on Parade, Freedom, Killing in the Name of, apesar das paralisações e problemas com o som ,o show foi INSANO em todos os sentidos.



Algumas horas para sair de lá, algumas dores na costela e uma sensação de que assisti 3 dos melhores shows da minha vida.

sábado, 11 de setembro de 2010

Charlotte Gainsbourg - IRM

A francesa Charlotte Gainsbourg é filha de Serge Gainsbourg, cantor e compositor e de Jane Birkin, cantora e atriz.
Apesar de ter crescido em um universo musical e desde a adolescência  vez ou outra lançar algum  bom trabalho, Charlotte se fez conhecer principalmente como atriz, circulando com muita autoridade no cenárioalternativo do cinema, hoje com por volta de 20 anos de carreira tem no seu histórico filmes como Love, Etc(Marion Vernoux,1996), 21 Gramas(Alejandro González Iñárritu,2003), Novo Mundo(Emanuele Crialese,2007), Anticristo(Lars Von Trier,2009).
Voltando a música, Charlotte desde 2006 quando lançou o ótimo "5:55" passou a se dedicar somente ao cinema, até que no começo de 2010 lançou "IRM" disco de 14 canções com produção e partipação nas composições do cantor e multi-instrumentista americano Beck.
O disco tem a mesma calma e delicadeza que a feição da protagonista transmite, primeira canção a ganhar video  foi "Heaven Can Wait"que é para mim uma das mais agradáveis canções do disco, além de ser a mais simples e pop. Grande parte das músicas são cuidadosamente contruidas por inúmeros sets de instrumentos de sopro, corda e percussão, o que já fica bem claro nas 2 primeiras faixas ''Master Hands e IRM", "Trick Pony" é a mais rock do albúm,"In the End, Vanities, La Collectionneuse" são mais belas e cantadas por Charlotte de forma especial.
Em comum entre as canções é o grande trabalho melódico de cada arranjo e a clara influência de Beck no resultado final do disco.
video

quinta-feira, 9 de setembro de 2010